Home Geral Má alimentação: a vilã dos principais problemas estomacais

Má alimentação: a vilã dos principais problemas estomacais

17
0
SHARE

pizza-1518846_1920

 

 Quem sofre com os sintomas precisa ficar atento e buscar tratamento adequado

 Azia, dor de estômago e refluxo são sintomas comuns na rotina de milhares de pessoas. Com a correria do dia a dia e os hábitos alimentares inadequados os problemas estomacais estão cada vez mais presentes na vida de muitas pessoas que, na maioria das vezes, não conseguem diferenciar os sintomas e acabam por não dar o tratamento adequado ao mal-estar.

 

Muitos dos sintomas ocorrem logo após a alimentação, como é o caso do refluxo. Os alimentos que ingerimos chegam ao estômago por meio do esôfago, que é semelhante a um tubo muscular, controlado por duas válvulas, o esfíncter esofágico superior e o inferior. Um controla a passagem do alimento até o esôfago e o outro permite que a comida chegue até o estômago. Quando esse último não fecha totalmente após a passagem do alimento acontece o refluxo, que causa um processo inflamatório que quando não tratado, pode evoluir para uma doença mais grave como a esofagite de refluxo e até mesmo predispor ao câncer.

 

Com o refluxo surge também a azia, que se apresenta pela sensação de queimação no abdome quando o ácido gástrico entra em contato com a mucosa esofágica. Entre as causas, além da alimentação inadequada, está o aumento de peso, o estresse, o tabagismo e o consumo de álcool. A médica Jerusa Miqueloto, do Laboratório Frischmann Aisengart, explica que a azia é o sintoma mais comum do refluxo. “O refluxo pode causar inúmeros sintomas, como a azia, até dores no peito, asma, tosse, rouquidão, laringite, entre outros, que são chamados de sintomas atípicos ou extra-esofágicos”, menciona.

 

A má-alimentação também é uma vilã quando o assunto é a gastrite, uma inflamação da mucosa do estômago que ainda pode ser agravada por alguns tipos de medicamentos, pelo estresse físico ou psíquicos. “Existem dois tipos de gastrite, a aguda e a crônica, que evoluem rapidamente. É uma doença séria, que precisa de tratamento individualizado. O importante é que o paciente procure um médico e faça os exames para a confirmação da doença para ser orientado sobre como tratar. Outro ponto importante é nunca se automedicar, pois, nesses casos, se o tratamento for incorreto, podem agravar ainda mais o quadro clínico do paciente”, diz a médica.

 

Para ajudar na identificação das doenças estomacais os especialistas contam com a endoscopia gástrica, que permite a avaliação da mucosa do esôfago, estômago e a primeira parte do intestino delgado. “Para fazer o exame a orientação é que o paciente vá acompanhado e, após, fique em repouso até o efeito do sedativo parar completamente. Após o procedimento pode existir a sensação de estômago inchado. Esses sintomas tendem a desaparecer pouco tempo depois do exame”, explica a médica.

 

Sobre o Laboratório Frischmann Aisengart:

 

O Laboratório Frischmann Aisengart tem uma história de mais de 70 anos como referência na medicina diagnóstica, contando com mais de 600 colaboradores, 35 unidades de atendimento no estado, realizando em torno de três mil tipos de exames de análises clínicas. Além disso, oferece soluções diferenciadas e alto padrão de atendimento, contando também com o serviço de vacinas. Confira mais informações sobre a empresa no site www.labfa.com.br

 

 

Fonte: Paula Batista Lide Multimídia – Assessoria de Imprensa

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here